Desafio

Ver as notícias e as imagens que diariamente chegavam da Ucrânia, após a invasão deste país pela Rússia, começou a ser cada vez mais inquietante para o Luís Pedro e a sua equipa. O sentimento inicial de impotência deu lugar à busca de ideias. Como ajudar, de forma criativa e impactante, o povo ucraniano? A unidade de projetos especiais OUT OF THE BOTTLE, uma parceria entre o Sr. Luís Pedro e o designer Luís Veiga, dedicada ao marketing e packaging de bebidas, foi então ativada para um brainstorming solidário.

Estratégia

A ideia que vingou após o brainstorming foi a da criação de uma cerveja, cuja venda reverteria para ajudar o povo ucraniano, numa altura em que os pedidos de apoio eram muitos e urgentes.

O nome teria de ser forte e causar impacto. O trocadilho feito com o nome do líder da invasão e a expressão de desagrado em calão português servia o intuito de forma perfeita: PUTIN QUE PARIU. Para fechar o conceito, foi desenvolvida a assinatura “A cerveja que faz da palavra uma arma”.

O passo seguinte foi encontrar parceiros que se identificassem com a iniciativa e quisessem unir-se à mesma de forma pro bono. É então que a Cerveja Letra e a agência de conteúdos audiovisuais Creative Lemons se juntam ao projeto. É desenvolvido o branding da cerveja, assim como a estratégia de comunicação, que incluiu, entre outras peças, a criação de um site exclusivo, com ligação direta à loja online da Letra, onde era possível adquirir a PUTIN QUE PARIU, bem como anúncios e posts para as redes sociais.

Aos meios de comunicação social é enviado um press release, acompanhado de materiais de divulgação, onde se explica que esta cerveja “não é uma iniciativa contra os cidadãos russos, mas antes uma manifestação de reprovação da ação de um homem louco. (…) Uma forma de contrariar a indiferença que o prolongamento da guerra tende a favorecer e uma palavra de ordem a favor de um povo indefeso”.

E porque as palavras de ordem podem ser uma “arma pacífica”, a comunicação da marca alude ao cocktail MOLOTOV, uma arma artesanal e de fabrico caseiro. A missão é que cada garrafa de PUTIN QUE PARIU erguida, sirva para fazer barulho e dar voz ao drama que a Ucrânia está a viver. Os ucranianos também merecem beber cerveja em paz.

A cerveja é apresentada oficialmente no festival de cervejas HOPEN, que se realizou em Braga no início de junho, e o buzz à volta da iniciativa não se fez esperar.

Resultado

‘Sucesso’ talvez seja uma palavra modesta para qualificar o desempenho desta iniciativa solidária. Após um primeiro lote de 1000 garrafas de cerveja, que esgotaram poucos dias após terem sido colocadas à venda, mais 900 unidades foram produzidas, rotuladas e vendidas.

Muitas noticias sobre a PUTIN QUE PARIU foram publicadas em meios de comunicação social, incluindo órgãos de informação de âmbito nacional como o jornal Expresso ou o Público.

€1.500 foram angariados em dois meses com a venda da cerveja, tendo sido entregues à Associação Porto Solidário a totalidade dos lucros da ação. Esta associação presta apoio a famílias ucranianas em Portugal, tendo realizado caravanas solidárias para entregar mantimentos em Lviv, na Ucrânia, com o apoio da TAP e da Unilabs.

Luis Pedro

Author Luis Pedro

More posts by Luis Pedro

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.